Hora local: 17:21
logotipo
Você está aqui: Página inicial > Arquivo de Notícias

HISTÓRIA ECONÓMICA E SOCIAL: NOVO VOLUME LEVA-NOS PELO TERRITÓRIO DE BAIÃO

2016/12/23

O presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, saudou, a 17 de dezembro, a publicação de mais um "pilar" para o conhecimento da história do concelho de Baião, aquando do lançamento do livro "Baião - Em Torno do Território".

"Esta obra pode ser vista quase como a cereja no topo do bolo do projeto História Económica e Social de Baião, porque permite enquadrar e articular as diferentes épocas, temas, tendências e evoluções retratados nos outros nove volumes que compõe a coleção, que vai desde a pré-história à contemporaneidade", referiu Paulo Pereira, aquando da apresentação do livro da autoria das geógrafas Elsa Pacheco, Laura Soares e do arqueólogo e especialista em sistemas de informação geográficos António Costa.

Paulo Pereira elogiou ainda a obra classificando-a como um "documento orientador para a valorização do território e da sua linha estratégica de desenvolvimento, assim como para a afirmação da identidade do concelho".

RIQUEZA PAISAGÍSTICA

Coube à professora universitária e geógrafa Elsa Pacheco apresentar a obra, que se reparte por 166 páginas e quatro capítulos: Características biogeofísicas; Viver e Fruir o território baionense; Construção do território de Baião; e Baião - Espaço de Oportunidade.

O livro, de caráter muito amplo, foca-se tanto na natureza geológica, climatérica e morfológica do concelho, mas também nas alterações sociais, económicas e administrativas, que se foram sucedendo desde tempos remotos e acabaram por determinar a matriz territorial de Baião que hoje conhecemos.

A autora classificou o concelho como "uma área privilegiada para uma análise integrada da paisagem", dado que possui "um passado repleto de memórias e marcas simbólicas" que remontam, pelo menos ao Neolítico antigo - do VI ao V milénio a. C.

Como demonstração da riqueza paisagística de Baião, os autores propõem no livro quatro unidades tipificadas no concelho: as superfícies culminantes das Serras da Aboboreira e do Castelo; a secção superior do vale do rio Teixeira, integrada já na serra do Marão; o vale do rio Ovil e as rechãs da vertente oriental da serra do Castelo; e, por fim, as encostas do Douro, abrangendo essencialmente as freguesias ribeirinhas.

Mas o olhar geográfico não se foca apenas nas características geomorfológicas do concelho, mas também a ação humana - Elsa Pacheco referiu que a distribuição da população de Baião continua a seguir as tendências de períodos mais recuados fortemente marcada pela topografia. "A localização das atividades económicas e o povoamento permanecem muito amarrados às vias de comunicação e aos cursos de água, perpetuando paisagens que historicamente marcam o concelho", referiu a autora, para quem estas características conferem a Baião uma estrutura identitária e social forte.

O facto de ter permanecido relativamente "intocado", confere algumas vantagens ao concelho, notou Elsa Pacheco. A autora enfatizou, desde logo, a riqueza natural e paisagística de Baião e, consequentemente, a importância da preservação do património material e imaterial ligado à ruralidade e aos "modos de fazer e viver" ancestrais, dado que esses estão ligados à identidade baionense e possuem um valor cultural e turístico assinalável. Associados a estes saberes, nota que podem surgir não apenas mais produtos de qualidade, mas também ações de formação sobre temas ligados à agricultura, ao artesanato ou ao ambiente que contribuam para melhorar a qualificação da população e a criação de riqueza em Baião.

"Se as mudanças de fundo se operaram, essencialmente, ao nível das dinâmicas territoriais, sempre associadas com os contextos regional e político e não tanto em termos de padrão de ocupação territorial, então a aposta principal terá de direcionar-se para essas raízes que perpetuam e resistem no tempo, tornando Baião único e apelativo - as pessoas, claro, e a natureza", sintetizou a autora, a respeito do livro.

AINDA É DIFÍCIL PERCEBER TODA A EXTENSÃO DA INVESTIGAÇÃO

A apresentação do livro contou ainda com a presença do presidente da Assembleia Municipal, José Pinho Silva, da vereadora da Cultura, Anabela Cardoso, do responsável da editora Caleidoscópio, Jorge Ferreira e do coordenador da História Económica e Social, Lino Tavares Dias.

José Pinho Silva referiu que ainda é difícil ter hoje uma noção exata de toda a extensão da investigação que está agora a ser desenvolvida e apresentada no âmbito da História Económica e Social de Baião. "Tratam-se de investigações de tão grande fôlego e profundidade que, no meu entendimento, as futuras gerações darão ainda mais valor a estas temáticas e compreenderão melhor toda a extensão destes estudos, deles retirando valiosos ensinamentos sobre a identidade dos baionenses e sobre a importância da história do concelho de Baião. Parabéns, por isso, aos investigadores e à Câmara Municipal", observou.

Lino Tavares Dias mostrou-se satisfeito com a evolução do projeto História Económica e Social. O arqueólogo e investigador explicou que os vários volumes obedecem a uma abordagem estratigráfica, própria da arqueologia, que vai dissecando sucessivas "camadas", neste caso diferentes épocas e temas históricos, unidas pela ideia "em torno do território". As próximas obras a serem lançadas serão os volumes alusivos às "Memórias Paroquiais" e ao período de "1910-2013", avançou ainda o coordenador da História Económica e Social.

CINCO LIVROS JÁ LANÇADOS

Ao todo foram já publicados cinco livros da História Económica e Social de Baião. Cada um é dedicado a uma época específica, desde a pré-história até à contemporaneidade.

Os quatro primeiros títulos a serem lançados foram "Baião - Em Torno do ano Zero", da autoria de Lino Tavares Dias; "Baião - Em Torno do ano 500", escrito por Arlindo de Magalhães; "Baião - Em Torno do ano 1500", cujo autor é Joel Ferreira Mata e "Baião - Em Torno de 1800-1910 Poderes e Dinâmicas, Mutações e Permanências" de Jorge Fernandes Alves. Estes podem ser adquiridos na Loja Interativa de Turismo de Baião, no Mosteiro de Santo André, em Ancede, ou encomendados através do email biblioteca@cm-baiao.pt .

Arquivo de notícias