Hora local: 18:59
logotipo
Você está aqui: Página inicial

SONDAGENS ARQUEOLÓGICAS PERMITIRAM RECUAR ATÉ À ÉPOCA MEDIEVAL

2017/05/11

A descoberta de cerâmica e outros objetos com mais de 500 anos de antiguidade, mas também um contacto direto com construções e estruturas que faziam parte do Mosteiro de Santo André, datadas das épocas medieval e moderna, foram alguns dos avanços proporcionados pelas sondagens arqueológicas realizadas.

Os trabalhos decorreram durante meio ano e estiveram a cargo da empresa Arqueologia e Património Lda, sendo financiados por intermédio de uma candidatura aos fundos comunitários, promovida pela Associação de Municípios do Baixo Tâmega, no âmbito da Rota do Românico.

O presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira, refere que estes estudos são vitais para a preservação do património local. "Com esta aposta estamos a salvaguardar o nosso passado e a nossa identidade coletiva, mas também a trilhar um caminho para, no futuro, podermos disponibilizar ao público o acesso a bens culturais de enorme valor".

O autarca enaltece o trabalho desenvolvido pela Rota do Românico e pela Associação de Municípios do Baixo Tâmega sem os quais estes projetos não poderiam chegar a bom porto.

A diretora da Rota do Românico, Rosário Correia Machado, salienta a importância da união de esforços, nomeadamente do Município de Baião, para um projeto regional em prol da coesão e do desenvolvimento sustentado "o património representa uma valiosa herança que todos temos a responsabilidade de cuidar e salvaguardar, não só para as atuais mas também para as gerações vindouras. O românico representa o forte testemunho de tão grande humanidade de quem o edificou e o foi mantendo, o Mosteiro de Santo André é um dos grandiosos elementos que a demonstram, uma verdadeira enciclopédia de história de arte, que a todos nos deve orgulhar."

O Secretário-geral da Associação de Municípios do Baixo Tâmega, Ricardo Magalhães, destaca a importância da realização destes projetos em parceria e no seu contributo para a coesão territorial. "É com enorme satisfação que a Associação de Municípios do Baixo Tâmega se associa a este projeto de desenvolvimento regional que é a Rota do Românico, no qual, através da conservação, salvaguarda e valorização do património românico se procura aprofundar o seu conhecimento, o desenvolvimento sustentado do território e o aumento da autoestima das pessoas que nele habitam".

DESCOBRIR UMA HISTÓRIA SECULAR

Estas sondagens visaram fornecer informações e elementos necessários sobre aquele complexo arquitetónico, numa altura em que está a ser desenvolvido um projeto, por parte do arquiteto Siza Vieira, para que o Mosteiro de Santo André possa ser revitalizado e novamente fruído.

As sondagens arqueológicas incidiram junto da ala nascente, sobre as alas poente e sul, e ainda sobre os claustros do mosteiro. Na ala nascente identificaram-se, primeiramente, níveis de circulação do período moderno e, a um nível mais profundo, a totalidade de um muro medieval já posto a descoberto anteriormente.

Na proximidade da atual igreja foram identificadas estruturas em granito de diferentes épocas, anteriores ao século XVII, tendo sido ainda possível identificar vestígios de uma lareira associada a um muro medieval de contenção de terras. Confirma-se a existência de um nível de circulação em toda esta área na época medieval que foi sendo sucessivamente aterrada desde o século XV até ao XVIII.

No claustro procurou-se obter uma leitura de conjunto das construções existentes, tendo sido possível colocar a descoberto a estrutura pétrea que limitava este espaço quadrangular.

Estes trabalhos permitiram ainda obter mais dados sobre o sistema hidráulico do mosteiro, sobre a evolução do conjunto edificado da ala sul, bem como realizar o tratamento e estudo do espólio arqueológico e fazer um levantamento/modelo tridimensional do conjunto monástico edificado.

MOSTEIRO DE ANCEDE VAI RECEBER MAIS TRABALHOS

Os trabalhos realizados inserem-se na operação "Rota do Românico: Património, Cultura e Turismo - Tâmega", tendo um cofinanciamento de 85 por cento pelo NORTE 2020. Esta candidatura engloba um conjunto mais vasto de investimentos no Complexo Arqueológico do Mosteiro de Santo André, como os trabalhos de arqueologia e diagnóstico estrutural da cerca. Também a capela do Bom Despacho será beneficiada numa dupla vertente: a conservação e restauro dos retábulos da nave e do conjunto escultórico e, por outro, o restauro da pintura mural.

Outras notícias