Hora local: 12:03
logotipo
Você está aqui: Página inicial

CASA MORTUÁRIA DE CAMPELO DIGNIFICA A SEDE DE CONCELHO

2017/01/01

O último dia do ano ficou marcado pela inauguração da Casa Mortuária de Campelo. De entre cerca de 85 obras realizadas através de empreitada pela Câmara Municipal de Baião, foi inaugurada aquela que representou o maior investimento - cerca de 300 mil euros, totalmente financiados com recursos da autarquia. A sessão contou com a presença do Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro e do Bispo do Porto, D. António Francisco dos Santos.

"Esta obra honra e dignifica o nosso concelho e corresponde a uma necessidade e a um anseio das populações que há muito era sentido porque em Campelo não existia uma resposta pública para velar os entes queridos que partem", referiu o Presidente da Câmara Municipal de Baião, Paulo Pereira. O autarca elogiou os responsáveis pelo projeto e pela execução da obra que encerra um ciclo de criação de casas mortuárias no concelho - todas as freguesias passam a ter respostas públicas -, embora tenha referido que será necessário evoluir para uma resposta que garanta mais condições, no caso de Santa Cruz do Douro.

O Presidente da União de Freguesias de Campelo e Ovil, Filipe Fonseca, relembrou a importância e o papel de todos os que o antecederam no executivo da junta de freguesia e que sempre defenderam a realização daquela obra. E referiu o bom trabalho feito pelos que a executaram e pela Câmara Municipal, que esteve sempre sensível e atenta às sugestões e propostas de melhoria feitas acerca da obra.

A importância da obra para o bem-estar das populações foi também enaltecida pelo Presidente da Assembleia Municipal de Baião, José Pinho Silva, para quem o dever os autarcas é darem corpo aos anseios das populações. "Ao criarmos condições para velar os que partem estamos a honrar a sua memória e também a permitir que as famílias e os amigos deles se despeçam em harmonia e com dignidade", notou.

INTERVENÇÕES DE JOSÉ LUÍS CARNEIRO E DO BISPO DO PORTO

O atual Secretário de Estado das Comunidades, José Luís Carneiro, era Presidente da Câmara Municipal de Baião na altura em que a Casa Mortuária começou a ser idealizada e concebida. No seu discurso lembrou, também, a forma como as populações desejavam que aquela obra se tornasse real. "Quando me candidatei pela primeira vez à autarquia percebi logo que essa era uma das prioridades para muitas pessoas da freguesia", lembrou.

José Luís Carneiro sublinhou a importância da palavra dada e do compromisso, mas também referiu que nem sempre é possível concretizar os projetos com a rapidez que se deseja.

"Tínhamos o compromisso de realização desta obra e é fundamental, na vida pública, honrarmos a palavra dada. Mas também é preciso percebermos que para aqui chegar foi necessário proceder à expropriação do terreno para o alargamento do cemitério e executar essa empreitada.

José Luís Carneiro terminou enaltecendo o papel de todos - autarcas, representantes das forças vivas e associações do concelho, trabalhadores dos diferentes ofícios e cidadãos em geral - na construção do futuro.

O Bispo do Porto, D. António Francisco dos Santos, a quem coube a bênção do edifício, mostrou-se satisfeito por visitar Baião, num momento de valorização da vila e do concelho. O religioso considerou que a nova Casa Mortuária garante o respeito pelos nossos mortos e a gratidão para aqueles que viveram connosco e continuam na vida, mas também o apoio às famílias na hora de luto. O Bispo do Porto referiu ainda que a igreja quer trabalhar com todas as entidades para o bem comum, tal como sucede no caso de Baião, um concelho que muito valoriza.

Marcaram ainda presença na sessão o pároco de Campelo, Joaquim Ribeiro e os vereadores da autarquia José Lima e Anabela Cardoso.

EDIFÍCIO DE LINHAS MODERNAS

De linhas modernas, a Casa Mortuária de Campelo foi projetada pelos Serviços Técnicos da Câmara Municipal de Baião e é constituída por dois pisos.

O autor do projeto, o arquiteto Álvaro Ribeiro, referiu que procurou inspiração para retratar a dignidade que o projeto merece no interior das igrejas, mais concretamente na toalha que é colocada no altar. Foi essa ideia que serviu de base à forma da casa mortuária.

No piso superior localizam-se duas câmaras ardentes e uma antecâmara, servida por sanitários. No piso inferior situam-se as áreas de arrumos e um sanitário público. O projeto contemplou também o tratamento de espaços exteriores, com ajardinamento e pavimentação da rua do Carvalhal. Esta rua foi alargada e passou a dispor de passeio e de sete lugares de estacionamento. Foi ainda beneficiado o acesso principal ao cemitério, que em vez de degraus passou a dispor de uma pequena rampa criada a pensar nas pessoas com mobilidade reduzida.

2017 PROMETE SER UM ANO POSITIVO

Paulo Pereira referiu-se ainda ao modo muito positivo como correu o ano de 2016 na autarquia, mostrando-se convicto de que o ano que aí se avizinha será também de muitas realizações e investimentos. "Com serenidade, capacidade de trabalho e rigor na gestão vamos chegar ao fim do mandato com todos os compromissos concretizados", afiançou.

Outras notícias